domingo, 16 de setembro de 2007

Questão de Idade

Mulheres e crianças primeiro! Quem nunca ouviu esta frase? Mas creio que aqui na Paraíba seja: “Velhinhos e crianças primeiro”. E quando a seca estava por vir estes foram embora. Pois segundo dados do IBGE em algumas de nossas cidades mais de 80% da população são eleitores.
As dez cidades em que a revisão foi determinada imediatamente pela Corte do TRE-PB, são aquelas que além de fazer parte da lista elaborada pelo TSE foram mencionados nas solicitações encaminhadas à Corregedoria. São elas: Poço de José Moura, com um percentual de 113,71% referente ao comparativo entre número de eleitores e número de habitantes; Bom Sucesso (97,19%); Cabaceiras (95,84%) [pasmem], Riacho dos Cavalos (94,52%); São Domingos do Cariri (91,58%); Emas (89,27%); Brejo dos Santos (87,15%); Cachoeira dos Índios (83,89%), Mato Grosso (81,46%) e Jericó (80,29%).

Creio que as pessoas se mudem para essas cidades em idade eleitoral e voltem para os locais de origem quando o voto passa a ser facultativo. Ou seria uma espécie de consciência cívica que incentiva os jovens a votar com 16 e as pessoas de idade a continuar votando? Vai saber!

Chumbo Grosso

Fui a convenção municipal do PSDB, vi muita coisa interessante as Cassietes [Tietes do Governador Cássio, sou meio cassiete mas não grito nem uso saias... Acho que sou um cassiôto, leia-se Casse Outro] com suas saias de tamanho inversamente proporcional a suas vozes estridentes. Estavam presentes a fiel militância tucana que dá um espetáculo em todos os eventos tucanos [muita gente para um domingo à tarde] o presidente da Assembléia Arthur Cunha Lima, os Deputados Federais Ronaldo Cunha Lima e Rômulo Gouveia. E o deputado estadual Romero Rodrigues entre outras lideranças tucanas, sem contar os ex-prefeitos Enivaldo Ribeiro e Felix Araújo Filho. E claro o Governador Cássio Cunha Lima. Este agora com um discurso mais duro e crítico a Prefeitura Municipal, atacou a administração de Veneziano Vital do rego Segundo Neto. “Onde estão às creches, uma em cada bairro que ele prometeu? Onde estão os Cajovens? Onde estão as novas idéias de que ele tanto falava? [...] O que se vê, na verdade, não são novas idéias, mas práticas antigas [...] A verdade é que a prefeitura não tem uma obra estruturante, o que ele fez foi recapear aquilo que um dia calçamos... Daqui a vinte anos o que hão de lembrar desta administração? Certamente, não será das creches, nem dos cajovens, diferente da administração de Ronaldo que onde se passa nesta cidade tem sua marca, diferente da de Enivaldo Ribeiro que abriu as grandes avenidas desta cidade proporcionando seu desenvolvimento, diferente de Félix, de Severino Cabral e de nossa administração que construiu o canal do prado e o de Bodocongó” disse Cássio.
E ainda disse que este governo é marcado por sua perseguição política.
“É por que o povo ainda não sabe o que se passa nos corredores da prefeitura” disse o Governador.
Pelo tom do discurso a eleição do ano que vem promete... Afinal Rômulo quer ser prefeito, Arthur quer, Romero quer e há quem diga que o grande trunfo pode ser a candidatura de Ronaldo. Se eu fosse o prefeito eu colocaria os caracois de molho.
Enfim, quem viver, verá!

Instinto

Alguns seguimentos da imprensa são como vermes ou urubus que se alimentam da desgraça alheia, ou ainda como uma erisipela que vive de estragar a epiderme dos outros. Estes na falta de fatos, os criam e já que não tem estatura intelectual para ascender tentam derrubar pessoas para que, subindo nas costas do cadáver consiga parecer mais alto. Não falo somente de seguimentos da imprensa brasileira, esta está em putrefação faz tempo [como posso não generalizar se uma maça podre põe a perder o cesto e neste caso não se trata de somente uma].
Os intelectuais luistanos pegaram pesado no caso Scolari, veja o que disse ator José Pedro Vasconcelos:
"Foi uma fraca exibição que culminou com um cena de falta de formação cívica, intelectual e moral. Um selecionador que agride a soco um jogador adversário deve ser despedido já", afirmou Vasconcelos”.
Com a manchete “Noite negra de Scolari”, o jornal A Bola diz que Felipão estava de “cabeça perdida” e que “furioso com a arbitragem agrediu jogador sérvio após o apito final”.
Uma foto de página inteira mostra a mão fechada do técnico na altura da orelha de Dragutinovic.
A reportagem intitulada “Noite de Tyson Scolari”, ocupa as páginas 2 e 3 e explica que “depois de levar uma palmada no braço, (Scolari) agrediu-o com um soco”.

Isso tudo levando em conta que ele não acertou o soco, imagine se acerta. Perguntaria ao Sr Vasconcelos o que é que instinto tem haver com intelectualidade. Creio que ser intelectual é xingar o adversário, certamente. O que será que um cara desses diria se visse Jesus Cristo entrando no templo armado de um azorrague derrubando tudo e pondo os cambistas para fora?
Certamente gente como ele deve enaltecer Salazar e crucificar Getulio Vargas [Salazar Brasileiro]. Parabéns para o Vasconcelos se ele consegue suportar seus instintos.

quarta-feira, 12 de setembro de 2007

Guerra Limpa

Que os Estados Unidos andam meio sem prestígio isto não é novidade, além de sua política beligerante, ainda vale relevar a não assinatura do Protocolo de Kyoto. Fazendo isto os USA admitiram não ter interesse em diminuir a emissão de gases poluentes na atmosfera.
Hoje pela manhã assistindo o jornal vi uma coisa que há de deixar Bush de olhos abertos. A Rússia desenvolveu uma bomba com proporções de destruição de uma bomba nuclear, mas que não atinge o meio ambiente. Ou seja, uma bomba Nuclear Ecologicamente Correta.
Nesses tempos em que a guerra é inevitável e que muito se fala no efeito estufa, é o que há de mais moderno para uma guerra limpa.
Não quero esperar para ver os caças Bio-Degradaveis, se bem que esta tecnologia é brasileira, uma vez que metade de nossos caças está inutilizada e a outra metade estão apodrecendo...

domingo, 9 de setembro de 2007

Professora pisoteada em São Paulo ECA

O Estatuto da Criança e do Adolescente protege também o menor infrator, isto certamente deve explicar a onda de crimes cometidos pelos mesmos. A certeza da impunidade é a principal mola que impulsiona aqueles em suas práticas ilícitas. Tamanha é a distorção na lei brasileira que os mesmos que não podem dirigir, podem votar. Em suma, aqueles que segundo a constituição são incapazes de guiar um veículo, certamente são capazes de escolher o rumo de um país [erro grotesco].
A situação mostra claramente a falta de limites a qual esses jovens estão acostumados. Observando-a, vemos não só a falta de respeito pela autoridade constituída, antes um desrespeito ao ser humano. Resta observar a revolta da professora que, vítima de agressão, não há de superar este trauma antes da aposentadoria, a impunidade dos criminosos, a omissão por parte da direção e o paliativo dado ao caso pela secretaria de educação do estado [o secretário disse se tratar de um acidente].
E a nós, futuros professores, ficam as nocivas certezas da letargia dos poderes públicos diante de qualquer cataclismo do qual venhamos a ser vítimas e a surdez dos gestores caso venhamos a bradar, mesmo que ensurdecedoramente, por justiça.

Velatom

Parece que o comércio de tintas para cabelo anda crescendo no oriente, e alguns psicotrópicos também, uma vez que certo líder convidou o povo norte-americano a trocar a democracia capitalista pelo Islã, dizendo esta ser a única solução para a guerra. Sem querer entrar no mérito da questão totalitária, vejo o capitalismo como um processo irreversível. O exemplo mais visível é o Neo-comunismo Chavista, que ao passo que ataca o capitalismo, vende sua imagem em relógios e promove uma verdadeira orgia com as finanças públicas sustentando os paises dos quais ele quer conquistar apoio. A exemplo do Petróleo vendido a Bolívia e a Cuba a preço de banana... Do um milhão doado ao carnaval Carioca [este saído da PDVSA – estatal do petróleo venezuelano]. Sinceramente não sei se os Norte-americanos, estes de educação protestante, se curvariam a falta de liberdade de imprensa, não sei se as mulheres norte-americanas que a custa de mortes conquistaram direitos e seu justo espaço, aceitariam as prerrogativas do Islã. Já nós brasileiros nos curvaríamos diante de quem quer que fosse, como nos curvamos a o [i]Moralez. E nos curvaremos ao Chavez se necessário. Dês de que é claro não seja suspenso o Bolsa Renda...Resta-nos especular qual a tinta para cabelo que o Bin Laden usa, será que é americana [que é que tem? Fidel usa Adidas e ninguém diz nada]? Certamente ele só conta para as amigas...

sexta-feira, 7 de setembro de 2007

Já raiou a liberdade no horizonte (um dia ela chega)

Fui ao famoso desfile de sete de Setembro. Na verdade movido pela minha compulsão por ver pessoas. Com exceção dos desfiles das forças armadas tudo aquilo é Colóquio flácido para acalentar bovino – Nas palavras de Humberto de Campos.
Parece que não só eu compartilho desta teoria, uma vez que se muito, metade dos espectadores prestava atenção e as músicas executadas pelas bandas em nada lembravam o quadro de Pedro Américo [se foi verdade ou não é outro assunto, só quero mencionar o quadro de meu conterrâneo. Posso?]. Ano passado lembro de ter ouvido a banda de um colégio tocando “se ela dança, eu danço”... Certamente conseqüência das declarações de Roberto Carlos que disse ver poesia nesta música [deve ser na parte em que Serginho fala que a chapa vai esquentar].
Hoje deveria ser um dia de reflexão, não me importa que tenham sido mulas ao invés de cavalos, que as palavras tenham sido ridículas ao contrário do que a historia registra. Mas parece que com o tempo deixamos de bradar: Independência ou morte! E passamos a sussurrar Independência ou morte? E a escutar Dependência ou Morte!
Os povos alemães certamente escolheriam a morte, como certa mãe que matou os filhos e se suicidou, por acreditar ser impossível viver em outro regime que não o Nazista. Os povos afegãos certamente pegariam em Armas e enfrentariam quem quer que fosse, por julgarem impossível viver em outro regime que não o Talibã. Mas o Brasil, que segundo Augusto dos Anjos, é um povo sem pátria. Ah... Este vai comer pipoca e dançar [Tchan, tchan, tchan... Tchan, tchan, tchan, tchan, tchan] durante o desfile cívico.
Comi um cachorro quente, ôps, minha barriga não está nada bem...

domingo, 2 de setembro de 2007

Domingo no Parque

Hoje pela manhã, fui ao famoso Parque da Criança [meus amigos de outras cidades certamente hão de perguntar: Famoso?] acompanhar um evento chamado domingo no parque. Organizado pela Prefeitura em parceria com o SESI e a TV Paraíba. Aprendi muitas coisas na ocasião.
Bem, apesar dos serviços oferecidos serem voltados às pessoas carentes, a quantidade [e valor] dos carros ao redor denunciava a presença da classe média campinense. Saias curtas, meninas jogando futebol com os meninos, vendedores de algodão doce usando aquela técnica barata de tentar fazer com que as crianças coajam os pais a comprar, casacos pendurados nas mãos [uma vez que na noite do sábado e o inicio da manhã do domingo o frio venceu]. Pensei em comprar algo dos hippies, mas contive-me por respeito a eles, afinal seria uma espécie de consumismo de minha parte.
Por que será que as meninas feias andam em grupo? Ao passar por determinados grupos entendia o conceito bíblico de: “Cada um segundo a sua espécie”. Mas existiam meninas bonitas também e em boa quantidade.
O que é, o que é... Um espaço campinense cheio de trevos de quatro folhas laranja?
“Um evento da prefeitura” – Dirá o menino esperto e perguntará – O que é, o que é...
Uma mulher jovem e bonita segurando a mão de uma criança atrás de uma gorda de saias curtas?
“A tia, o sobrinho e a mãe da criança” – Retrucará o outro [ah... algumas mães não perdem esses costumes, o que torna as belas tias alvos complexos].
Por falar em mulher gorda encontrei ex-colegas de ensino médio, gordas com seios e barrigas enormes segurando na mão de uma criança... O tempo é cruel [e as gorduras saturadas também].
E as atrações? Um grupo [cuja proposta é resgatar vidas de crianças através da música] chamado Molecada coordenado por Fumaça [sem comentários, ou seriam cem...] se comprometeu em fazer uma homenagem a Jackson do Pandeiro dos dez minutos de apresentação quatro foram falando e o resto tocando músicas instrumentais próprias [conceito estranho de homenagem, mas...], A última atração a qual era anunciada com eloqüência era a banda de pagode Tribala [não esperei para ver].
É gozado, os ladrões e marginais de campina só atacam a partir das dez e vinte e anunciam o portão pelo qual vão entrar, esta talvez seja a única explicação para a segurança só se concentrar em um portão e a partir de tal hora. E as sombras, ah... estas estavam muito bem guardadas pela polícia militar, vi pelo menos três grupos cada um em uma sombra, estas devem ser áreas de risco.
Mas, a pesar dos atropelos o evento foi bom e só vem a confirmar a falta do que fazer nos domingos campinenses em que não tem fórmula 1, Campanha política nem trem forroviário...