domingo, 10 de novembro de 2013

Fôlego (Jasmim)

De teu fôlego, quase ilimitado,
guardo os beijos épicos, violentos
como se turbilhões de sentimentos
fluíssem de teu hálito abrasado

Como um ser bestial que, enjaulado,
encontrando o seu último rebento
em um misto de doçura e tormento
o teu beijo era amargo e adocicado!

Porém pra ser feliz há tempo, há hora
A foice do tempo levou-te embora
e a punição que, em lágrimas, percebo

É lembrar a cada instante de ti
nos beijos ardentes que recebi
e nos beijos sem gosto que recebo!

4 comentários:

QUANDO FALA O CORAÇÃO disse...

Que preciosidade!!
Só faltou o nome do autor, eu adoraria saber!!

É tão bom apreciar obras de qualidade como essas!!

Amei!!

QUANDO FALA O CORAÇÃO disse...

Li esse e outros. Todos de igual modo: Lindos!!!

André Macedo disse...

Ah, fico lisonjeado com sua visita e com seus comentários... Este texto, assim como os outros, é de minha autoria!
Sua passagem por aqui foi estimulante, obrigado

QUANDO FALA O CORAÇÃO disse...

Parabéns por ser o autor dessa verdadeira arte literária!!
Quanto a visita ao seu Blog, a honra foi minha!!