domingo, 25 de novembro de 2012

Encantado com Areia


Usei o argumento da produção da revista para visitar a cidade de Areia. Uma das mais lindas cidades da Paraíba. Já havia ido ao município outras duas vezes, mas, em nenhuma das duas havia podido explorar com calma certos pontos da cidade, os quais a muito tempo eu desejava.
Apesar das duas matérias sob minha responsabilidade, na ocasião, terem sido épicas, pude andar com certa calma. Visitei os três museus: senti-me encantado na antiga Casa de Pedro Américo, na exposição de arte sacra do Museu Regional de Areia e, mais ainda, no Museu da Rapadura. Todos os paraibanos deveriam fazer esta rota.
Fui ao Teatro Minerva, primeiro teatro construído na Paraíba, e, em meio às anotações e fotografias, sentei-me em seus bancos e imaginei como se comportava o público de 1858, quando este foi erguido.
Como ir a cidade dos Engenhos e não visitar um? Como não sei a resposta para esta pergunta, fui ao Engenho Triunfo. A cachaça produzida por lá está entre as Top 10 do Brasil, [o detalhe é que, empatadas em primeiro lugar estão outras duas cachaças paraibanas]. Vi de perto como a bebida é produzida e como todas as partes da cana de açúcar são aproveitadas no processo, desde o bagaço até a chamada “cana de cabeça”, imprópria para o consumo.
No fim, me deliciei com a degustação. Provei cachaças envelhecidas em barris de umburana, carvalho, canela e a famosa bidestilada, uma das melhores que já provei. Na loja do engenho não pude deixar de comprar um souvenir, são coisas tão bonitas e saborosas que dá vontade de trazer tudo, e mais de um de tudo.
Volto para Campina encantado com o que vi, com a arquitetura das casas que faz com que você se transporte para outro século enfim, com o clima desta maravilhosa cidade. Voltarei? Claro! Tenho outros engenhos para conhecer, tenho mais de Areia para saborear, tenho, enfim, muito da Paraíba e de mim mesmo para explorar.