quarta-feira, 30 de junho de 2010

Curta

Diferente de Cazuza, todo dia a insônia me convence que eu devo mudar de ramo e ganhar mais.



Ps: O pior é que sequer tenho insônia é, de fato, falta de tempo para dormir.

quarta-feira, 23 de junho de 2010

Ideia... Onde estás?

Muita coisa por fazer e nenhuma idéia criativa. É o mal que tem me assolado de dias para cá. Precisando de férias [para adiantar a monografia], sou vitima do calendário acadêmico que se arrastará até, mais ou menos, o dia 10 de Julho. Além do que, Domingo [dia 27] me mudo novamente para o Garden Hotel, onde ficarei até o dia 7 em treinamento. Por falar em dia 7, tenho prova de proficiência [nesta data cabalística] a qual terei que negociar com as autoridades IBGEanas por uma questão de não poder estar em dois lugares...
Por hora, escuto Evanescence e mato o tempo, a espera de uma idéia criativa que mude todo meu drama ou que ao menos chegue o sono.

sábado, 19 de junho de 2010

Saramago!

Morre José Saramago aos 87 anos!

E o mundo lusófono perde o seu maior nome da contemporaneidade em termos de literatura, se Mathias Áires está certo e, a diferença entre nós e os heróis resida no fato de que aqueles estão longe demais para que enxerguemos o seus defeitos creio que, em um futuro não tão distante, estudantes das artes hão de se debruçar com perícia sobre suas obras e ladeá-lo a nomes como Fernando Pessoa e o próprio Luiz Vaz de Camões, afinal este triunvirato contribuiu mais para a língua portuguesa do que todas as reformas ortográficas realizadas até hoje.
Enfim, lamento que a morte não enfrente as dificuldades imortalizadas por Saramago em seu livro As Intermitências da Morte!

sábado, 12 de junho de 2010

Coisa de brasileiro

Fui ao centro da cidade. Meio a contra gosto, mas alguém precisava fazer o depósito. Encontrei o esperado: um exército de namorados/atrasados na busca pelo presente de última hora e, nos super-mercados e bares, exércitos de torcedores secando a Argentina [coisa de brasileiro], me juntei á estes últimos, a Nigéria não nos ajudou, perdeu inumeras oportunidades e los hermanos venceram a primeira. Terça-feira somos nós, certamente exércitos de argentinos vão ás ruas nos secar, será que estas equipes se cruzam? Não sei, sei que já pendurei a bandeira em minha casa, coisa de brasileiro.

quarta-feira, 9 de junho de 2010

Castro Álves:Promessa é dívida

Geralmente uso este espaço para falar de autores paraibanos, mas cumprindo a promessa que fiz ,há mais ou menos uns trinta minutos, aos meus alunos (Estágio) do Estadual da Prata postarei hoje sobre um baiano, O poeta Castro Alves:


Em 14 de março de 1847 nascia na fazenda Cabaceiras, na Bahia, Antônio Frederico de Castro Alves, aos 12 anos perde sua mãe, dona Célia, aos 17 perde o irmão, José Antônio que se suicidou, aos 19 perde seu pai, Sr. Antônio José Alves. Fora isso, contraiu tuberculose, doença que mais tarde o levaria a morte, e, em um acidente durante uma caça atirou contra o próprio pé, tendo que amputá-lo mais tarde.
Mas a vida deste poeta não foi somente de desprazeres em 1863, quando publicou seu poema “Os escravos”, conheceu e se apaixonou pela atriz Eugênia Câmara (de quem foi amante) e, anos mais tarde ás vésperas de sua morte, apaixona-se pela cantora Agnese Trinci Murri.
Sua vida pública foi notável, no ano da morte de seu pai, 1866, ele conheceu Rui Barbosa com quem fundou um clube abolicionista, suas declamações em público encantava as multidões a exemplo da declamação de “Navio Negreiro” em 1868, em uma sessão solene. Em 1871 a tuberculose leva o poeta que, mesmo depois de morto continua falando através de seus poemas.
Como representante maior do Condoreirismo, Castro Alves adotou duas vertentes, a vertente Lírico-Amorosa e a vertente Social, esta última lhe rendeu o título de poeta dos escravos.



Vou parar por aqui! O restante vocês já viram na aula. Segue abaixo o link do poema Navio Negreiro que lhes recomendei a leitura:


Clique aqui: Navio Negreiro

sexta-feira, 4 de junho de 2010

Efeito Telephone

- Bom dia, Gostaria de um DVD da Lady Gaga.
- Ah, estou sem, mas tenho este da Beyoncé!

Fiquei me perguntando, mas o que este cidadão quer dizer/fazer, será que se eu pedisse um DVD do Lula ele me viria com um DVD da Dilma ou ainda se eu perguntasse pelo DVD de Avatar ele me ofereceria o dos Smurphs [que saudade deste desenho].
Aquele sábado foi salvo por um espetáculo de ballet no teatro Rosil Cavalcanti, a primeira apresentação de um amigo (espero ir a outras). O domingo transcorreu sem maiores novidades: caiu uma leve e rapidíssima garoa, o meu time foi campeão estadual derrotando nosso arqui-rival, hoje, voltando da cidade de Caturité, me deparei com uma carreata de comemoração, incontáveis pessoas esquecendo de tudo em nome de uma paixão, entregando-se a recreação e esquecendo da miséria que é ser humano.
O que será que eles responderiam se eu pedisse um DVD do filme: O presente?