sexta-feira, 22 de agosto de 2008

Noite de são Bartolomeu - 24 de agosto de 1572

Para quem pensa que as morestes em nome de Deus são coisa de hoje, devo lembrar do aniversário de 436 anos de um dos mais cruéis conflitos religiosos de todos os tempos, onde aproximadamente 100.000 protestantes franceses foram assassinados. O engraçado é que a famosa Noite de São Bartolomeu ocorreu dois anos depois do tratado de Saint-Germain onde a rainha Chatarina de Médici e os Huguenotes haviam selado um acordo de não-agressão. Chatarina tentou assassinar o Almirante Gaspard e, não conseguindo, se enfureceu e então na manhã do dia de São Bartolomeu assassinou os principais líderes huguenotes, hostilidades estas que se espalharam por toda França resultando no número de mortes acima citado. O Papa Gregório XIII, jubilante com o “belo ato da coroa francesa”, mandou pintar um mural comemorativo, assim como cunhar uma edição especial de medalhas comemorativas à tal dia. Hoje, não haveria necessidade de tal conflito visto que o próprio movimento protestante tem atacado a sí mesmo atirando no próprio pé. Mas questionaria, quantas pessoas mais hão de morrer em nome de Deus?

sexta-feira, 15 de agosto de 2008

Metamorfose

Eu vejo em tua vista mais opaca
Os ares violentos de um maníaco
E o ódio em seu sorriso demoníaco
Cortando o ar mais forte que uma faca

Já não mais te fartas por mais que comas
E assim caminhas em prantos eternos
Sentindo a dor em teus órgãos internos
E não há quem te veja os hematomas

Então tua alma tísica se cansa
De alimentar a falsa esperança
Que um dia acharás um ombro amigo!

Que trates de esquecer quem tanto amas
Deitando na mais doce dentre as camas
Chamada pelos homens de jazigo

quinta-feira, 7 de agosto de 2008

Volta ás [J]Aulas

Acabam-se as férias e o Festival de Inverno, retornam as aulas e a vontade de pular do Edifício Lucas. As primeiras com um certo saudosismo as últimas tendo como motivação apenas a pesquisa que ainda me empolga um pouco, este semestre dentre outras coisas engraçadas assistirei aulas também no período da manhã, visto que semestre passado, fui reprovado em uma disciplina.
Vão-se as férias, a paciência e o Festival de Inverno, sobram às dores de cabeça e as intermitências e doçuras da vida acadêmica [sim, também existem doçuras. Ah que doçuras!], mas o que não para um momento se quer é a preparação para o concurso do Tribunal de Justiça da Paraíba, o edital é meio louco, mas me parece valer á pena. Espero conseguir manter o ritmo até o final do semestre. Muito embora a idéia do Edifício Lucas não me pareça de um todo má.